quinta-feira, 10 de novembro de 2016

"O minho amigo" diz ela...

Poucos dias depois da minha M. ter nascido, em baixo do apartamento onde vivemos abriu um bar/restaurante de fast food chamado de Lanchonete da Cidade. Desde essa altura que trabalha lá um senhor (é o cozinheiro, o que faz as limpezas gerais ao fim-de-semana, quando esteve em obras, foi mestre, portanto é o "faz-tudo" do sítio!) que sempre se interessou pela minha M., sempre que saíamos ou entrávamos em casa. Sempre interagiu com ela e quando nos íamos embora dizia sempre "Um anjinho. Deus te abençoe.". É uma pessoa muito simples, mas de um enorme coração.

Hoje quando a vê brinca com ela, oferece-lhe doses de batatas fritas, chocolates e sumos (tudo o que eu não gosto muito que ela coma, mas aprecio a intenção!). Ela chama-o de "minho amigo" porque ele é de facto o seu amigo desde que ela nasceu...

No final do mês passado, bateu-nos à porta. Levou-nos 2 peixinhos que já havia dito que ia dar à princesa. Ela, claro, ficou radiante de alegria. Disse-lhe várias vezes obrigada... Não só lhe deu 2 peixinhos, como um "aquário" improvisado com decoração e um frasquinho de comida a troco de nada! Nada! É nessas situações que vemos que quem pouco tem mais oferece... Uma grande lição de vida para mim, para ela, para o namorido e, espero que para todos os que lerem este post... Que o mundo se encha de pessoas com coração grande como o "minho amigo" da Matilde.

4 comentários:

  1. :) Que senhor amoroso! :) As crianças são mesmo o melhor do mundo e inspiram o melhor de nós. :P

    ResponderEliminar
  2. É por pessoas como essa que não perco a esperança na humanidade, há pessoas mesmo, mesmo boas e é tão bom estarmos rodeados por elas.
    Beijo

    ResponderEliminar